Terça-feira, 27 de Novembro de 2007
Inauguração da exposição de Artes Plasticas no Museu Municipal de Resende
 

Presidente da Câmara local elogiou o trabalho da Milho D’Oiro


O Presidente da Câmara Municipal de Resende, Eng. António Borges, elogiou o trabalho que a Milho D’Oiro – Associação Cultural e Artística de Gavião está a desenvolver.

O presidente daquele município, que falava no acto de inauguração de mais uma exposição de artes plásticas de artistas famalicenses e da região, que a colectividade famalicense ali organizou, afirmou que “o trabalho desta associação de Vila Nova de Famalicão é um bom exemplo para todos”. E dirigindo-se aos dirigentes da Milho D’Oiro e aos artistas disse que “temos muito prazer em receber-vos na nossa terra, onde já vamos tendo bons equipamentos culturais, mas onde, temos que reconhecer, ainda falta algum interesse pela cultura, pela participação nestes eventos. Vocês são sempre nossos convidados”.

O autarca acrescentou ainda que “estão de parabéns pelo trabalho que desenvolvem e nós estamos de parabéns por podermos oferecer aos visitantes deste museu uma exposição de artes de tão boa qualidade”.

Sérgio Marques, presidente da Milho D’Oiro - Associação Cultural e Artística de Gavião começou por agradecer o convite que a vereadora da Cultura da Câmara de Resende, Dulce Pereira, fez à associação para organizar mais uma exposição naquele município, mas agora no Museu Municipal.

“Estamos muito gratos à Câmara de Resende por nos convidar a voltar com artistas de Vila Nova de Famalicão e da nossa região à capital as Cerejas”, disse Sérgio Marques. “É evidente que hoje não encontramos cerejas, porque não estamos no tempo delas, mas encontramos, como sempre, uma simpatia extraordinária que nos faz sentir como se estivéssemos na nossa própria terra” – acrescentou o presidente da direcção da associação.

Depois das palavras do dirigente da Milho D’Oiro e do autarca, seguiu-se uma visita à exposição que até ao próximo dia 12 de Janeiro mostrará esculturas de Américo Rajão e de Bruno Rajão, de Santo Tirso; pinturas de Maria de Lurdes Rodrigues, de Braga, de Camilo de Léllis, Fernando Marques, Maria Faria, Passos da Silva e Vânia Cunha; pintura e desenho de Margarete Monteiro, todos de Vila Nova de Famalicão.

Ao contrário do que as palavras do autarca podem fazer crer, na abertura da exposição esteve presente um número muito agradável de pessoas, que trocaram ideias para um verdadeiro intercâmbio cultural entre Vila Nova de Famalicão e Resende. Os famalicenses falarem de Camilo, de Bernardino Machado, da Indústria Têxtil, etc., os de Resende falaram das termas de Caldas de Aregos, dos seus monumentos e disseram apreciar muito a forma como a nossa associação promove o concelho de Vila Nova de Famalicão e a região.

O Museu Municipal de Resende está instalado na antiga cadeia da comarca e já recebeu artistas de craveira internacional, como Carmezim entre outros.

Num Concelho de transição entre o Douro Litoral e o Douro Vinhateiro, não podia faltar um Porto de Honra e as tradicionais Cavacas de Resende, que, tal como as cerejas, são deliciosas.




Publicado por milhodoiro às 21:30
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
|

Outubro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Mais sobre nós
Arquivos

Outubro 2010

Maio 2010

Janeiro 2010

Junho 2009

Maio 2009

Dezembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Maio 2008

Abril 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Links